Concentre-se na sua presença!

Olá! Olá!

Começo a semana com um pequeno conselho, aproveite todos os pequenos momentos para se concentrar  mais em si!

Concentre-se apenas na sua presença, enquanto espera por alguém, na mesa do café ou enquanto aguarda pela sua vez, numa sala de espera, num fila, pode aproveitar a ocasião para não fazer nada, em vez de se agarrar ao telemóvel ou de remoer nos seus pensamentos.

No nosso dia-a-dia, existem tantas ocasiões para não fazermos nada, mesmo que estejamos com pressa.

Nesses pequenos instantes, concentre-se na sua presença e passe ao modo “estar” em vez de se manter no modo “fazer”, ao registo”sentir” em vez do registo “reflectir”.

Em vez de sobrecarregar o cérebro com coisas para pensar ou fazer, deixe-o respirar e leve-o até onde ele nunca vai.

Fixe-se no local em que se encontra, observe com atenção todos os recantos, entregue-se aos sons, aos odores, ao ambiente desse local, seja ele qual for…

A seguir , volte-se para si próprio, sinta a sua respiração, o seu corpo…dedique toda a sua atenção às coisas  presentes e tangíveis desse momento: a sua respiração, o seu corpo, aquilo que está a ver, a escutar, a cheirar…faça o melhor que conseguir e deixe passar tudo o resto, sem objectivos nem expectativas, apenas a sua presença.

Agora, já chegou aonde deveria chegar…está de corpo e alma na sua vida…

Fique aí…um pouco mais…

Desejo-lhe um dia magnífico!

af64e405872cea93659aba34979f5890

Maria José

[Read more…]

O Chapéu Carmesim

Olá!a9e1a46459c535ad33d9b58141b3c68c

Vivemos numa sociedade obstinada com a juventude, a beleza, os atributos físicos e passamos muito  tempo a olhar para o espelho e para as nossas pequenas imperfeições.
Esta insistência em atingirmos o objectivo da perfeição física, que a nossa sociedade estabeleceu, pode levar a sentimentos negativos relativamente a nós próprios e a não nos sentirmos bem como somos.
O não nos sentirmos bem como somos, leva à diminuição  da nossa auto-estima e a privar-nos de ser felizes.

Da próxima vez que se olhar ao espelho, tente concentrar-se no que tem de bom, belo, saudável ou único.
Olhe para o espelho e aprecie, desfrute e esteja grata pelo que tem de bom, hoje.

Maria José

“O Chapéu Carmesim”

3 Anos: Olha para si mesma e   sente-se uma Rainha:
8 Anos: Olha para si e vê-se como a bela Adormecida:
15 Anos: Olha para si e vê-se gorda, borbulhenta e feia.
(«Mãe, não posso ir para a escola assim.»)
20 Anos: Olha para si e vê-se demasiado gorda ou demasiado magra, demasiado alta ou demasiado baixa, com o cabelo demasiado liso ou demasiado encaracolado, mas decide ir mesmo assim.
30 Anos: Olha para si e vê-se demasiado gorda ou demasiado magra, demasiado alta ou demasiado baixa, com o cabelo encaracolado, mas não tem tempo para fazer mais nada e por isso vai conforme está.
40 Anos: Olha para si e vê-se demasiado gorda ou demasiado magra, demasiado alta ou demasiado baixa, com o cabelo demasiado liso ou demasiado encaracolado, mas diz «Pelo menos estou limpa» e vai.
50 Anos: Olha para si, diz «Eu sou» e vai onde quer ir.
60 Anos: Olha para si e pensa nas pessoas que nem sequer conseguem olhar-se ao espelho.
Sai e conquista o mundo.
70 Anos: Olha para si e vê sabedoria, boa disposição e talento. Sai e diverte-se.
80 Anos: Nem sequer olha para si. Põe um chapéu carmesim e sai para se divertir no mundo.
Talvez devêssemos pôr o chapéu carmesim mais cedo na vida.

Mallika Chopra

[Read more…]

%d bloggers like this: